segunda-feira, janeiro 31, 2005

Sugestão literária: Mediunidade e Animismo

Acabei de pegar em mãos o recem-lançado "Mediunidade e Animismo", de Odilon Fernandes, psicografado por Carlos A. Bacceli. Devo confessar de antemão que é um livro do tipo de literatura que me agrada, definitivamente dou preferência a leitura instrutiva no lugar de romances que muitas vezes ficam apenas no "agua com açucar", embora também alguns transmitam nas entrelinhas instruções aplicáveis à vida.

É um livro pequeno, que traz em 509 perguntas e respostas um panorama sobre os mecanismos da mediunidade, e também abordando questões particulares do dia a dia dos médiuns.

Fiz uma rápida leitura e muito me agradou o livro, agora resta reler com maior atenção para poder confirmar a opinião, tenho certeza de que não me decepcionarei, tanto que até já arrisco a indicar esse livro como sendo um excelente material para estudo complementar daqueles que estejam em algum curso regular de Espiritismo, ou que tenham o desejo de se aprofundar nesse assunto.

As respostas de Odilon são concisas e objetivas, outra caracteristica que eu gosto. Em alguns casos a objetividade pode parecer contrária a algumas posturas que vemos, na qual algumas pessoas fazem verdadeiros malabarismos mentais para tentar justificar algo que poderia ser mais simples. Ah! a simplicidade! Quanto mais a perseguimos parece que mais ela se afasta... deixemos de persegui-la então e a tenhamos como constante companheira de nosso dia a dia.

Na página 108, questão 315 que abaixo transcrevo, temos o seguinte:

315 - Doutrinariamente, todavia, não existe muita coisa contraditória?
- Os espíritos, como os homens, têm as suas opiniões, que não devem ser acatadas antes de devidamente analisadas. Nem tudo o que se produz mediunicamente é espírita.

Algo simples, direto, objetivo, conciso, nem um pouco diferente daquilo que encontramos na Codificação, mas que parece ser solenemente ignorado por uma significativa parcela do Movimento Espírita que acata mais pelo nome do que pelo conteúdo.

490 - Mediunidade e animismo?
- Impossível que um existisse sem o outro.

491 - Portanto?...
- O animismo, como se convencionou conceber não existe. É um mito que precisamos nos empenhar para demolir.

492 - O médium assume as caracteristicas do espírito ou é o inverso?
- A água sempre toma a forma do recipiente em que se derrama, o que não a impede de preservar as características que lhe são peculiares.

E o fechamento do livro, a última questão é magistral em minha opinião...

509 - Um recado aos companheiros espíritas?
- O mesmo do Espírito da Verdade: "Amai-vos, eis o primeiro ensinamento; instrui-vos, eis o segundo.

4 comentários:

Lucas Finhldt disse...

Realmente é muito didático e esclarecedor esse livro.
César,vc vai me achar tendencioso para elogiar os livros do Baccelli e do Odilon,no entanto,vc mesmo aprovou a obra em questão.
Existe uma obra mais antiga do mesmo autor e mesmo médium,que trata de mediunidade nos mesmos moldes deste,é o "ABC da Mediunidade".Recomendo para quem gostou do "Animismo".

rosemeire aparecida disse...

poderia me falar mais sobre amininmo obrigado rose .

Cesar disse...

Rose,

Animismo em linhas gerais é tudo aquilo que provem da alma (anima). Em todo processo mediunico existe um componente animico que é o proprio medium. O animismo é, portanto, natural pois toda comunicacao mediunica ocorre pelo pensamento que é considerada a linguagem universal.

Anônimo disse...

Como perceber a diferença entre comunicação mediunica e a animica?
Tenho essa curiosidade e quero ler mais sobre isso.

Ana